Ministério Público muda de opinião, retira queixa e pede absolvição do editor do “Canal de Moçambique”

1
810

Maputo (Canalmoz) – Foi retomado na quarta-feira, 18 de Julho, na 2a Secção do Tribunal Judicial de Kampfumo, o julgamento do editor do “Canal de Moçambique”, Matias Guente. Recorde-se que este é acusado por Joana Matsombe (ex-administradora do Banco de Moçambique) do cometimento dos crimes de calúnia e difamação, em virtude de o jornal ter publicado dois editoriais e uma caricatura a criticar a negligência do Banco de Moçambique com efeitos na falência do “Nosso Banco”.

Joana Matsombe exige uma indemnização de dois milhões de meticais e pena de prisão para o editor do “Canal de Moçambique”. No primeiro dia do julgamento, 29 de Junho, o Ministério Público leu a acusação que havia promovido a partir de acusação particular, e seguiu-se a um momento de esclarecimentos sobre a caricatura e as duas notas editoriais, tendo sido chamados os jornalistas Jeremias Langa (da “Soico”) e Fernando Lima (do jornal “Savana”) como testemunhas para falarem da sua experiência com “cartoons” e editoriais.

Na quarta-feira, 18 de Julho, dia reservado para as alegações finais, aconteceu algo de inesperado. O representante do Ministério Público, Carlos Banze, fez uma reviravolta, retirando a acusação e pedindo a absolvição de Matias Guente dos crimes de calúnia e difamação. Segundo o Ministério Público, pedir a condenação do réu poderia equivaler a um enorme recuo na história das conquistas da Humanidade em matéria de liberdades e direitos fundamentais que assistem ao cidadão, na medida em que o jornal apenas cumpriu o seu papel dentro da liberdade que lhe é garantida pela lei. O Ministério Público reproduziu as explicações dadas pelo réu, pelas testemunhas e pelo advogado de defesa, segundo as quais as figuras públicas estão expostas ao escrutínio e crítica públicas em função da posição que ocupam na sociedade, sendo normal que parte dessas críticas lhes sejam desagradáveis, sem que isso seja considerado crime.

O julgamento será retomado no dia 29 de Agosto, para a leitura da sentença, sendo de admitir que não venha a estar muito longe da decisão do Ministério Público. (Redacção)

1 COMMENT

  1. FineScan 會在肌膚上製造數以千計的細小深入傷口,即所謂的顯微加熱區(microthermal zone),但要確保每次治療時皆有部份組織不受能量影響,於是,每一個顯微加熱區的作用雖然強烈而明顯,但周圍都包覆著正常且結構完整的皮膚組織,使傷口能在短時間內癒合,並替換之前有缺陷的受損組織。Finescan不僅可讓表皮新生,更可促進深層膠原再生,從內而外徹底喚醒細胞,瞬時找回年輕時的肌膚狀態。憑藉最新的雙軸技術,FINESCAN 6可治療 – 面部 – 頸部 – 暗瘡凹凸洞 – 增生性疤痕

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco − 1 =