Detenção de Chang: PGR perde oportunidade de ficar calada e entra em contradição: Beatriz Buchili diz que não tem elementos para responsabilizar Chang, mas quer que seja julgado em Moçambique

5
3169

Maputo (Canalmoz) – Nove dias depois da detenção de Manuel Chang, deputado da Frelimo e ex-ministro das Finanças, a Procuradoria-Geral da República reagiu ao assunto. A denunciar que está a agir a contragosto e com pouca margem para continuar a entreter as pessoas, logo na primeira comunicação a Procuradoria-Geral da República entrou em contradição. A instituição dirigida por Beatriz Buchili diz que ainda não há responsabilização porque faltam informações relevantes que estão na posse de vários países, entre os quais os Estados Unidos da América. No mesmo documento, afirma que está a encetar diligências junto dos EUA e da Africa do Sul para que Chang e mais dois moçambicanos, cujas identidades não foram reveladas, sejam responsabilizados em Moçambique. Mas não disse como isso vai acontecer, uma vez que ainda não tem provas.

Ler mais na versão PDF do Diário CanalMoz, mediante subscrição.

5 COMMENTS

  1. Vergonha da justica mocambicana. Em Mocambique so ha tribunal para os pequenos ladroes. Os que deixam o pais idividado nao sao julgados.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

três × cinco =