Não vote em caloteiros!

0
116

Beira (Canalmoz) Estou a pedir para que, antes de colocar o X ou a impressão digital no boletim de voto, pense mais um pouco a fim de não se arrepender pelo resto dos próximos cinco anos. Acredite na força que o seu voto tem. Ele pode mudar o destino do país, da sua vida e dos seus parentes, caso vote certo. Votar certo é não votar naquele grupo que jogou o nosso país na sarjeta e no ostracismo internacional. Não se deixe emocionar por camisetas, t-shirts, bonés e capulanas. Eles foram comprados com o seu dinheiro roubado para voltar a enganá-lo com ilusionismo e trocadilho de palavras e promessas falsas  de que vamos fazer isso, vamos fazer aquilo. Depois de se proclamarem vencedores, eles trocam de discurso e passam a dizer que não fizeram isso e aquilo porque o país não tem recursos. Abramos os olhos para que não voltem a nos enganar.

Se se deixar, mais uma vez, levar, a culpa será sua porque advertências nunca faltaram. Vote pensando no emprego que lhe falta, no pão que não tem na sua mesa. Pense na sua família que, quando vai ao hospital ou centro de saúde não encontra medicamentos para aliviar uma simples dor de cabeça,  para parar uma diarreia ou malária. Lembre-se no seu filho que estuda encurvado ao chão porque a sua escola não tem carteira nem quadro. O seu filho estuda em piores condições que você, noutros tempos, antes de o nosso país  cair na hecatombe. O nosso país é rico. Não somos pobres. Fomos empobrecidos pela Frelimo. Eles ficaram com todas as riquezas do solo e subsolo do nosso país. Ficaram com gás,  carvão, rubis, grafites, ouro e madeiras. Até  são donos de centrais eléctricas, e o povo ficou com o BI e bandeira e nada mais.

No dia 15 de Outubro, teremos a oportunidade de dizer basta de brincadeiras e darmos outro rumo às nossas vidas. As eleições servem para mudarmos as fraldas borradas. Alguém disse que os políticos são como as fraldas, têm que ser trocadas depois de algum tempo. Alguns desses que lhe batem à porta, lhe dão um abraço e dançam consigo são como  fraldas mal cheirosas. Temos a oportunidade de os trocar. O seu voto pode operar milagre. Pode libertá-lo e tirá-lo da cadeia onde se encontra desde que chegámos à  independência. Tenha coragem suficiente de sair da prisão e venha lutar pela liberdade. Recuse  dar o seu voto aos que comem tudo e não deixam nada. Nós  podemos mudar o nosso destino. O povo não foi condenado por Deus a ser governado por caloteiros. Deus criou o Homem para ser feliz na Terra.

O seu voto e o meu podem alterar tudo isso porque todos queremos mudanças. Todos queremos um Governo que sirva os nossos interesses comuns. Estamos cansados. Queremos coisas novas. Juntos podemos sair do buraco e nos livrarmos da tragédia. Receba a capulana, camisetas, bonés e peça mais e diga-lhes que os seus familiares precisam também. Leve tudo que lhe derem mas não lhes dê o seu voto porque eles não merecem. Tiveram a oportunidade de demonstrarem o que valem, porém, nada de jeito fizeram para além de encherem os seus bolsos e nos cobrirem de pobreza absoluta.

Não compre calças velhas e cheias de remendos quando você tem dinheiro para comprar calças novas. Não use saia de segunda mão quando você pode se dirigir à loja para adquirir uma saia nova. Nem calce sapatos da quinta mão! Você merece algo melhor que está ao alcance. O seu voto pode tirá-lo da situação em que se encontra. Você precisa de coragem e confiança. Vamos experimentar coisas novas!

Não deve ser a Polícia a nos impor quem nos deve governar nem os órgãos eleitorais e muito menos os observadores da comunidade internacional que vêm degustar o nosso camarão e depois dizerem aos seus países que apesar das irregularidades ocorridas, as eleições foram livres e justas. Eles não mandam na vontade do povo que se desejar livrar dos patrões dos esquadrões da morte. Afirmemo-nos como senhores do nosso destino, recusando os resultados impostos pela Polícia e órgãos eleitorais, como tem sido recorrente.  A soberania reside em nós e não nos moleques do regime da Frelimo.

Os resultados não devem chegar dos países que exploram o nosso carvão nem o nosso gás nem daqueles que desertificam as nossas florestas. Sejamos nós os donos do nosso destino comum para escolhermos o que queremos para nós. O povo não se deve deixar intimidar com blindados nem carros de assalto, que defendem os corruptos. Outros povos recusam resultados impostos. Façamos o mesmo e digamos que os corruptos, bandidos e assassinos, nunca mais! Temos esse direito de escolher os nossos dirigentes. Temos essa oportunidade, então,  levantemos a nossa voz! Votemos bem e votar bem e não votar na Frelimo nem no seu candidato. Tenhamos coragem para nos libertarmos!

Aqueles que foram fazer fiado e depois chutaram as dívidas para o povo pagar, não serão eleitos. Os que provocam guerras para delas tirarem proveito pessoal e do grupo serão rejeitados nas urnas. Não deixemos passar esta grande oportunidade para o povo se livrar das carraças e pulgas que chupam sangue do povo, pois em democracia, as eleições não são nenhuma brincadeira, constituem um verdadeiro julgamento, um acto de libertação. Libertar-se das injustiças e dos injustos. Libertar-se da corrupção e dos corruptos. É escolha consciente para colocarmos o país no trilho do desenvolvimento.

Somos dos países mais ricos de Africa, em recursos, não merecemos ser mendigos. Temos tudo para sairmos da miséria. Temos riquezas naturais, gente laboriosa e inteligente. Temos terras aráveis sem fim, florestas, rios, barragens para geração de corrente eléctrica. Podemos sair da pobreza se soubermos escolher bem. Poderemos voltar a ser um povo com dignidade se não nos deixarmos enganar.

O futuro está nas nossas mãos. Está na maneira como vamos votar! Precisamos de votar na mudança. Acordemos para tirarmos os tiranos do poder! O povo unido é mais forte que todos os caloteiros e corruptos e os patrões dos esquadrões da morte juntos! O povo esclarecido pode expulsar os falsários do poder! O tempo deles já esgotou! (Edwin Hounnou)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

18 + 5 =