Jornalistas descontentes com a secundarização e com condicionalismos impostos aos órgãos de comunicação privados

0
339

Maputo (Canalmoz) – É falacioso o discurso segundo o qual o Teatro Operacional Norte está aberto para cobertura jornalística por parte de todos os órgãos de comunicação social. Depois de equipas da agência “Lusa” e da STV terem sido excluídas do grupo de jornalistas que visitaram o acampamento da “Total” em Afungi e a vila-sede do distrito de Palma a seguir ao ataque do dia 24 de Março, equipas do “Canal de Moçambique”, “Savana”, STV, “Carta de Moçambique”, “Evidências”, “Lusa”e RTP visitaram Afungi e Palma no dia 12 de Abril, mas trabalharam de forma condicionada e não conseguiram voltar a Pemba, comprometendo a publicação do material recolhido no local, porque a única avioneta disponível deu prioridadeà saída de Afungi de jornalistas da Televisão de Moçambique, da Rádio Moçambique e de elementos da burocracia do Gabinfo.

Ler mais na versão PDF, mediante subscrição.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezenove + 7 =