Professores exigem reposição na TSU dos subsídios de risco, técnico e de progressão

0
336

Maputo (Canalmoz) A Associação Médica de Moçambique avisou que iria avançar para uma paralisação de actividades com a duração de vinte e um dias, a partir de 7 de Novembro, se o Governo não der resposta às suas preocupações relacionadas com a implementação da Tabela Salarial Única, principalmente na componente de salários e tempo de serviço no aparelho de Estado. Ontem, 2 de Novembro, foi a vez de os professores da cidade de Maputo enviarem uma carta ao primeiro-ministro, Adriano Maleiane, exigindo a reposição dos Níveis 16, 17 e 18 no enquadramento dos Docentes N1 na TSU, conforme o consenso alcançado entre o Ministério da Economia e Finanças e os sindicatos.

Ler mais na versão PDF, mediante subscrição.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

19 + 6 =